Diário: 01/06/2017

quinta-feira

1

junho 2017

0

COMENTÁRIOS

Oiticica entrará em ritmo acelerado de obras e Adutora de Currais Novos será rapidamente concluída

Por , Em notícias

Compartilhar paraShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

O Governo Federal vai acelerar as obras da Barragem de Oiticica e finalizar o mais rápido possível a Adutora de Currais Novos, conforme foi solicitado ao Ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, por Henrique Eduardo Alves e o senador Garibaldi Filho.

Nesta quinta-feira (01), o Secretário Nacional de Infraestrutura Hídrica, Antônio de Pádua, vai se reunir em Natal com o diretor-geral do DNOCS, Angelo Negreiros, além de técnicos da Secretaria Estadual de Recursos Hídricos, para tratar da celeridade das duas obras. Oiticica é fundamental para a chegada da transposição do Rio São Francisco ao RN.

O presidente estadual do PMDB, Henrique Eduardo Alves, esteve em audiência nesta quarta (31), com o ministro Hélder Barbalho e recebeu a informação da reunião para acelerar o ritmo das obras: “O ministro determinou que se chegue a medidas efetivas para garantir um novo ritmo neste projeto tão importante para o Estado”.

O senador Garibaldi Filho destacou também a importância de agilizar as duas obras para o Estado. “O Secretário Nacional de Recursos Hídricos também vai tratar das obras que serão executadas para a chegada da transposição das águas do São Francisco. Tudo isso é oportuno e necessário para o Rio Grande do Norte”, afirmou o senador.

quinta-feira

1

junho 2017

0

COMENTÁRIOS

Movimento dos Atingidos pela Barragem de Oiticicas se reúne com secretário Ivan Júnior nesta sexta

Por , Em notícias

Compartilhar paraShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

O Movimento dos atingidos e atingidas pela construção da Barragem de Oiticica se reunirá, na próxima sexta-feira (02), às 17hs, na capela de Barra Santana, no município de Jucurutu, de uma reunião com a presença do secretário de Recursos Hídricos, Ivan Júnior, seu adjunto Mairton França, técnicos da KL Engenharia, Diocese de Caicó, prefeituras, movimento sindical e Seapac.

O objetivo da referida reunião é dialogar com os representantes do governo do estado sobre os seguintes pontos: a) Localização das residências e comerciantes na nova Barra de Santana; b) Situação dos Inquilinos ausentes da comunidade e dos não atendidos com moradias do PSH; c) Processo de indenizações urbano de barra de Santana; d) Desmatamento da bacia hidráulica da barragem de oiticica.

quinta-feira

1

junho 2017

0

COMENTÁRIOS

Na Câmara, deputado Felipe Maia comemora aprovação da PEC da Vaquejada

Por , Em notícias

Compartilhar paraShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

felipePEC

Com 373 votos favoráveis, o Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (31), em segundo turno, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 304/07 ou PEC da Vaquejada, que permite práticas desportivas que utilizem animais, como a vaquejada, desde que registradas como manifestações culturais e bem de natureza imaterial integrante do patrimônio cultural brasileiro. Para o deputado federal Felipe Maia (DEM), essa aprovação é uma vitória para todos os nordestinos. Com essa outorga, a PEC segue para promulgação.

“Fiquei muito feliz e aliviado com a ratificação dessa PEC, já que só no Rio Grande do Norte, são gerados mais de 50 mil empregos diretos e indiretos que estavam correndo o risco de acabar, caso as vaquejadas fossem realmente proibidas. Essa atividade gera, em todo o país, mais de 120 mil empregos diretos e 600 mil empregos indiretos. Além disso, movimenta mais R$ 600 milhões por ano”, explicou o parlamentar.

Felipe Maia destacou que a vaquejada, é um patrimônio cultural e deve ser preservado. “A vaquejada é um patrimônio cultural e tradicional do povo brasileiro. Sou a favor da prática esportiva oficial, desde que ocorra com muito respeito aos animais, com o cumprimento de todas as regras impostas pela lei, como a colocação do protetor de cauda para não machucar o rabo dos bois e a não violência do vaqueiro, que não pode chicotear o animal em nenhum momento”, afirmou.

O deputado alertou ainda que diversos profissionais seriam atingidos, caso a atividade não fosse legalizada. “Seriam afetados médicos veterinários, domadores, vaqueiros, caseiros, tratadores, motoristas, cozinheiros, tratoristas, donos de bares, casas de show e artistas, mas que os prejuízos poderiam ser ainda maiores, porque a vaquejada movimenta toda uma cadeia econômica”, enfatizou.