terça-feira

17

agosto 2021

0

COMENTÁRIOS

Reclamações contra bancos, no RN, crescem 46% este ano

Por , Em Notícias

Compartilhar paraShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

As reclamações de clientes contra instituições bancárias no Rio Grande do Norte cresceram 46,34% entre janeiro e julho de 2021 em comparação com o mesmo período do ano passado. Nos sete primeiros meses deste ano, 2.043 reclamações foram registradas no Portal consumidor.gov.br, ferramenta monitorada pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), órgão ligado ao Ministério da Justiça. Para o mesmo período de 2020, o índice contabilizava 1.396 reclamações, mais que o dobro do ano anterior (648). Em geral, a demora no atendimento é o principal protesto dos usuários.

Com 2.043 requerimentos no Estado, as reclamações contra bancos, instituições financeiras e administradoras de cartão de crédito lideram com folga o ranking do Portal do Consumidor, do governo federal. Na segunda posição aparecem as operadoras de telecomunicações (televisão, telefone e internet), como alvo dos consumidores com 858 solicitações. O crescimento das reclamações contra bancos se repete no cenário nacional, segundo dados do Ministério da Justiça. De janeiro a julho de 2021, foram 219.159 solicitações de clientes que ficaram na bronca com as agências, ante 184.220 reclamações no mesmo período de 2020, isto é, crescimento de 18,9%.

De acordo com o diretor técnico do Procon Natal, Diogo Capuxú, a crise gerada pela covid-19 influenciou diretamente no aumento das denúncias. “Pela lógica do momento, esse aumento se deve à procura pelo Auxílio Emergencial e pelo baixo número de servidores que ficaram trabalhando nas agências por conta da pandemia. A gente ainda tem muita gente leiga, que vai até o banco para resolver uma coisa que poderia ser feita pelo celular. Acredito que 50% desse aumento foi causado por conta desses auxílios. O atendimento bancário hoje é muito acessível, muito tranquilo, inclusive para as pessoas analfabetas, pessoas deficiências”, explica.

happy wheels