Comércio de ouro: maioria do STF vota por suspender boa-fé presumida

Compartilhar paraShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria ontem (29) por manter liminar (decisão provisória) do ministro Gilmar Mendes que suspendeu a chamada presunção da boa-fé do ouro, em que a legalidade do metal é presumida pelo comprador com base somente em informações fornecidas pelo vendedor.

Pelo voto da maioria, fica mantida também a determinação para que o governo federal adote em 90 dias um novo marco normativo para a fiscalização do comércio do ouro, “especialmente quanto à verificação da origem legal” do metal, diz a decisão.

Mendes é relator de ao menos três ações sobre o assunto, abertas por PV, Rede Sustentabilidade e PSB, que foram abertas após a repercussão da crise humanitária provocada pela invasão de garimpeiros na Terra Indígena Yanomami.

Nas ações, os partidos alegaram que a boa-fé do ouro, ao retirar a responsabilidade de comprador e vendedor de comprovarem a legalidade do metal, incentiva o comércio ilegal e a fiscalização, o que favorece a degradação ambiental e social dos locais de exploração.

The post Comércio de ouro: maioria do STF vota por suspender boa-fé presumida first appeared on Blog do Seridó.

Powered by WPeMatico

banner_seridopneus-770